Imagem do produto

Feminismo Negro em 4Atos: sobre Lélias, Kilombas, Angelas e Ciatas

Minicurso de 3 encontros que busca refletir a teoria e prática do feminismo negro a partir da vida e obra de quatro autoras em diferentes espaço e tempo da história. Lélia Gonzalez, Grada Kilomba, Ângela Davis e Tia Ciata, sendo essa última a representação de um movimento, por isto “Ciatas”.
R$ 150,00 R$ 120,00

Descrição

A metáfora dos atos aqui indica as divisões internas que vamos fazer a fim de refletir imagens e representações que se cruzam em uma única peça, formando um continuum que tem uma missão reflexiva, mas também de incidência política, a fim de criar regimes de visibilidade, emancipação e protagonismo feminino negro na história social das mulheres.

I Ato – (2’) – “Lélia Gonzalez: aquela neguinha atrevida”

A partir da vida e obra da autora, este ato tem por finalidade uma breve imersão no pensamento de Lélia e sua intervenção no mundo a partir da linguagem, da psicanálise e do pensamento social brasileiro.


II Ato - (2’) – “Grada Kilomba e a descolonização do pensamento”

Um mergulho no pensamento de Grada Kilomba é refletir também as teorias pós coloniais, o trauma que a diáspora representa e representou, e, a criatividade e potência das culturas na diáspora. Mantendo um diálogo estreito com a psicanálise, a filosofia e a arte, Grada traz o desconforto do mundo e os processos de (re)encantamento.


III Ato – (2’) – “Ângela Davis: a intelectual ativista”

Ângela nos provoca um mergulho nos movimentos sociais, nos ativismos que as intelectuais negras desenvolveram no tempo. Traz um pensamento radical na medida em que alinha teoria e prática política, indo ao encontro da amiga Lélia, na potencialidade da “Amefricanidade” do mundo.


IV Ato – (2’) – “Quando a prática extravasa a teoria: entre Zezés, Lecis, ... Ciatas, Quelés, Mães Beata e Aracys”

Indo ao encontro das chamadas Tias pretas no Brasil, vamos refletir como a prática destas mulheres estavam alinhadas com um projeto emancipador calcado na prática do bem viver e na perspectiva da cura visando a emancipação, a liberação de opressões e a participação na partilha do comum.

  20/05/2021 - 21/05/2021 | 19:00

 Aulas disponíveis após o curso

  Duração: 4:00

  Capacidade de até 80 pessoas (67 vagas disponíveis)

  Condições de Cancelamento: Gratuito - reembolso integral

Quem faz

Angélica Ferrarez

Professora, pesquisadora, feminista negra e doutora em História. Tem pesquisado a história social do samba e das mulheres negras e atualmente desenvolve pesquisa biográfica sobre as Tias do samba. É idealizadora da webserie Rodadas e colunista do Notícia Preta.

Categoria: Mini Curso Tags: África

Eventos relacionados