Imagem do produto

Teatro do Oprimido e Negritude

O curso pretende analisar pela perspectiva afro referenciada em um percurso teórico sobre a metodologia do Teatro do Oprimido desenvolvida pelo teatrólogo Augusto boal e as suas possíveis aplicações na luta antirracista tendo como referências o grupo Cor do Brasil e o espetáculo O Pregador. Os principais conceitos e fundamentos do método serão abordados e cotejados com outros autores e autoras do Teatro Negro. Ainda, dentro do possível, serão propostos jogos e exercícios da estética do oprimido.

R$150,00

Descrição

Este curso acontecerá de 09 a 14 de agosto de 2021, no horário das  09h às 12:30h.


Esse evento pode ser realizado em Inglês.

  09/08/2021 - 14/08/2021 | 09:00

Certificado com carga horária

  Aulas não disponíveis após o curso

  Duração: 21:00

  Capacidade de até 50 pessoas

  Condições de Cancelamento: Gratuito - reembolso integral


Quem faz

Licko Turle é ator, diretor, professor e pesquisador teatral. Licenciado em teatro, em letras, mestre e doutor em teatro pela UNIRIO. Em 1986, cria com augusto boal o centro do teatro do oprimido do rio de janeiro. Em 2017, Licko Turle muda-se para Salvador, Bahia, onde atua como professor visitante no Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas da UFBA. Dirigiu em 2019 o espetáculo Pele Negra Máscaras Brancas com a companhia de teatro da UFBA. Coordenou, nos anos de 2018 e 2019, o FNAC - fórum negro de artes cênicas da escola de teatro da UFBA. É um dos criadores da Pele Negra: escola de teatros pretos em Salvador. Possui sete livros sobre teatro publicados.


Cachalote Mattos é doutorando em Artes pela UERJ, Mestre em Artes Cênicas pela UNIRIO e cenógrafo pela UFRJ. Consultor de imagem do Centro de Teatro do Oprimido, trabalhou com Augusto Boal entre 1998/2009. Integrante do GESTO - Grupo de Estudo em Teatro do Oprimido, que atua desde 2010 na inclusão do Teatro do Oprimido em programas de graduação e pós-graduação universitária. Integrante do Coletivo Cor do Brasil (Grupo que pesquisa a temática racial através da estética negra). Integrante do Coletivo Siyanda de Cinema Negro, Cenógrafo da Cia. de Teatro Os Ciclomáticos, Pesquisador da Estética do Oprimido ministrou oficinas em Angola, Senegal, Guiné Bissau, Moçambique, Berlin, Croácia, França, Califórnia - EUA, Taiwan e diversas regiões do Brasil. Realizou diversos trabalhos de cenografia em teatro, cinema, eventos e exposição.

Categoria: Atividade ao vivo Tags: África