Escrita criativa

Escrita criativa

Oficina de Escrita Performativa objetiva pensar a escrita como ato, como gesto, as pessoas participantes serão provocadas a exercitar a produção a partir do corpo e sua observação. Serão propostos exercícios de escrita a partir da observação do corpo, das águas e da respiração.

20/08/2021 - 28/08/2021

Categoria: Atividade ao vivo Tags: África

Descrição

Este curso acontecerá nos dias 20, 21, 27 e 28 de agosto de 2021, no horário das 19h às 20:30h.


Esse evento pode ser realizado em Inglês.

  20/08/2021 - 28/08/2021 | 19:00

Certificado com carga horária

  Aulas não disponíveis após o curso

  Duração: 6:00

  Capacidade de até 30 pessoas

  Condições de Cancelamento: Gratuito - reembolso integral


Quem faz

Artista do corpo e da palavra. É assim como Mônica Santana se define artisticamente, numa trajetória profissional multidisciplinar. Mônica Santana é Mestre em Artes Cênicas pelo Programa de Pós-graduação em Artes Cênicas da Universidade Federal da Bahia (2013) e atualmente Doutoranda pelo PPGAC/UFBA. Cursou Especialização em Jornalismo e Direitos Humanos pela UniJorge (2006). Graduação em Interpretação Teatral (incompleto). Bacharel em Comunicação Social (Jornalismo) pela Universidade Federal da Bahia.

Atua como atriz desde 1999. Com o solo teatral Isto não é uma mulata (2015-2016), conquistou o Prêmio Braskem de Teatro Baiano 2015 na Categoria Revelação e garantiu a inclusão na lista das 25 Mulheres Negras Mais Influentes da Internet em 2015, segundo o site Blogueiras Negras e uma das mulheres mais influentes nas artes pelas ativistas feministas do Think Olga. Em sua pesquisa de Mestrado, desenvolveu o solo autoral Aprendizagem (2011), com o qual realizou apresentações em teatros e espaços alternativos de Salvador até 2014. Em 2017, desenvolveu o projeto Cartografando Afetos, fruto de entrevistas com mulheres negras sobre afetividade, gerando o seu terceiro espetáculo solo Sobretudo Amor e o vídeo registro com 20 entrevistas com mulheres negras, intitulado Cartografando Afetos. Nestas obras, além de atuar, assinou a dramaturgia e a direção.

Lança em abril de 2021, ao lado da também jornalista Ana Fernanda, o livro de crônicas Substantivo Luto, uma obra que reflete sobre o luto e perda, pela Andarilha Editora e ainda este ano lança uma nova obra, em auto-ficções sobre o Centro Antigo de Salvador. Como dramaturga, integrou no início da pandemia o projeto Writen’s Room do Goethe Institut Bahia e Melanina Digital, construindo colaborativamente uma obra dramática ao longo da pandemia, juntamente com outros quatro autores negros brasileiros. Integrou a equipe de professores do Estudos em Teatro Negro, formação digital sobre as artes cênicas afrorreferenciadas no Brasil. Foi premiada como Crítica Teatral pela Fundação Cultural do Estado da Bahia em 2012 – Concurso Crítica das Artes e desenvolveu por dois anos o projeto Papo Teatral: http://www.papoteatral.com.br, desenvolvendo críticas culturais.

Como empreendedora negra, atua na Crioula Mobilização e Comunicação Social, empresa existente desde 2012, que presta serviços de comunicação, gestão e produção de conteúdo de redes sociais e mobilização de mídia, facilitação gráfica e sistematização de processos colaborativos e experiências de projetos, tendo prestado serviços para CIPÓ Comunicação Interativa, Terre des Hommes Suisse, CESE, Sasop, produtoras culturais como a Caderno 2 Produções, Maré Produções Culturais entre outras. Como educomunicadora, atuou na organização não-governamental CIPÓ Comunicação Interativa desde 2004, desenvolvendo projetos na área de educomunicação, incidência política e comunicação pela garantia dos direitos humanos.